• Gilson Fais

O olho que tudo ouve: câmeras de vídeo também capturam sua voz


Privacidade em mutação (Parte II)

A difusão planetária de câmeras de vigilância constituiu uma rede de sensores que potencialmente capturam toda a vida cotidiana. É uma fonte estupenda de informações que permite montar diagnósticos e avaliar cenários de amplo espectro acerca da vida dos indivíduos. O que não se sabia até então era que as imagens, ainda que mudas, guardam sons que podem ser recuperados: os olhos também escutam. Confiram este artigo:

Recuperação do som ambiente

Parece que não são só as paredes que têm ouvidos: qualquer objeto no ambiente de fato ouve tudo o que se fala ao redor deles.

E, pior do que isso, eles também têm bocas, e podem contar aos outros o que você está falando.

Pesquisadores demonstraram uma técnica óptica simples por meio da qual "informações de áudio" - sons - podem ser extraídas a partir de gravações de vídeo feitas em um ambiente.

A técnica utiliza um processo de correspondência de imagens que se fundamenta na detecção das vibrações imperceptíveis que as ondas sonoras causam nos objetos. E apenas analisando as imagens de uma sala, a equipe conseguiu recuperar as palavras faladas no ambiente.

Em outras palavras, o som cria pequenas vibrações nos objetos e essas vibrações - mediante o uso de equipamentos adequados - podem ser captadas a partir de um vídeo feito do local.

Correlação de imagens

Zhaoyang Wang e seus colegas da Universidade Católica da América, nos Estados Unidos, afirmam que a técnica é particularmente eficiente se o vídeo for gravado em alta velocidade e se os objetos presentes no ambiente forem leves, finos e flexíveis, tais como pedaços de papel ou cortinas.

A equipe utilizou uma abordagem chamada de correlação de imagens - a comparação entre uma imagem determinada, um quadro de um filme, por exemplo, e uma imagem de referência - para elaborar um algoritmo que detecta os movimentos na superfície de cada objeto filmado com alta precisão e rapidez.

Como as vibrações detectadas na superfície dos objetos estão diretamente relacionadas às ondas sonoras no ambiente, é possível reconstruir a informação de áudio original.

Outras técnicas já haviam conseguido antes recuperar sons a partir de vibrações dos objetos em um ambiente - mas nenhuma com a simplicidade de um algoritmo de análise de imagens.

"No momento, estamos melhorando a técnica para aumentar sua precisão e sensibilidade, fazer as medições em tempo real e remover a interferência de outras fontes," disse Wang.

Paredes e sons

Dado que a luz pode viajar através do ar consideravelmente mais longe do que o som e pode passar através do vidro, a equipe antecipa que a técnica pode encontrar aplicações como a detecção passiva de conversas dentro de um edifício a partir de uma grande distância.

Para os mais preocupados com a privacidade, é bom saber que outras equipes já criaram ondas de som à prova de ouvidos indiscretos.

Já para os mais despreocupados, é bom saber que o inverso também é verdadeiro, e que é possível transformar paredes e objetos em alto-falantes para ouvir melhor suas músicas.

Bibliografia: Audio extraction from silent high-speed video using an optical technique Zhaoyang Wang, Hieu Nguyen, Jason Quisberth Optical Engineering Vol.: 53 (11): 110502 DOI: 10.1117/1.OE.53.11.110502

Fonte: www.inovacaotecnologica.com.br

FAIS GILSON FAIS ADVOGADO. São Paulo. Brasil

#EstudosdoFuturo #DireitoDigital #DireitosCivis #DireitosHumanos #DireitoRobótico #DireitoàPrivacidade

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo